Notícias

05/02/2016

Está chegando a hora! Hotéis já estão lotados para os dias de desfile.

O palco da festa, a Avenida XV de Novembro já ganhou estrutura. Fotos: Paula Patussi/DV

"Evento que ocorre na área central é importante para aquecimento da economia local."

É Carnaval em Joaçaba! A cidade que aposta na folia como maior evento e ganha destaque nacional, atrai a cada ano mais espectadores. O palco da festa, a Avenida XV de Novembro já ganhou estrutura e as escolas encerraram seus desfiles técnicos e trabalhos nos barracões para os Desfiles das Escolas de Samba deste sábado e domingo (06 e 07).

O evento atende a públicos diferentes com os desfiles e ainda o Carnafolia - que atrai cerca de 15 mil foliões em cinco noites, impacta uma região superior a 1,5 milhão de habitantes. O Carnaval de Joaçaba, é considerado o terceiro melhor do país e em carnaval de blocos atrai participantes de todo estado de Santa Catarina, do Paraná, do Rio Grande do Sul, de São Paulo e do Rio de Janeiro.
Em Joaçaba, a Liga Independente das Escolas de Samba de Joaçaba e Herval d’Oeste (LIESJHO) espera receber aproximadamente 25 mil pessoas em cada uma das duas noites de desfile.

Quem comemora a data são os prestadores de serviços, o presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Joaçaba, Gunther Marcio Meyer destaca que a época é a melhor para estes setores. “Para os dois dias de desfiles os hotéis estão lotados, restam vagas ainda para os outros dias de folia”, disse. “Neste ano, em meio a um cenário de crise, ainda conseguimos quase lotar os hotéis. O evento movimenta a rede hoteleira e o comércio local”.

São oito hotéis na cidade, e outros municípios vizinhos como Catanduvas, Erval Velho, Treze Tílias, Capinzal e Piratuba que também são procurados pelos turistas. Apenas em Joaçaba são cerca de 700 leitos que podem hospedar 1400 turistas. Em média as diárias dos hotéis variam de R$ 70,00 a R$ 300,00.

“Não temos outra data ou evento que estes setores possam ser beneficiados. Analisando o calendário de eventos da região, nada maior está programado. Há reclamações pelo evento ocorrer na área central e, ainda discussões sobre a construção de um sambódromo, economicamente as cidades devem ter outras prioridades, mas todo o Meio Oeste se beneficia com o Carnaval. Os setores precisam se unir mais e valorizar o evento, que atrapalha a mobilidade por poucos dias, mas que dá retorno. São poucos dias que culminam com um espetáculo sem igual! ”, enfatiza Meyer.

Retorno a folia

Em pesquisa divulgada pela Federação do Comércio de Santa Catarina (Fecomércio), em março do ano passado, apontou que cerca de 90% dos turistas pretendem retornar ao evento. Em 2015, os itens hospedagem, sensação de segurança, atendimento no comércio e serviços foram avaliados como “bom” por mais de 40% dos turistas. Em São Francisco do Sul, o atendimento do comércio foi considerado bom para 79% dos turistas. Na Capital, índice de 67% e, em Joaçaba, 59%. Em Laguna, o maior percentual de avaliação dos turistas foi para a segurança: 67% bom.

O estudo traz o perfil dos turistas, comportamento de gastos e impacto econômico do feriado nas cidades de Florianópolis, Joaçaba, Laguna e São Francisco do Sul. Neste ano, a pesquisa também deve ser apresentada após a realização do evento.

A pesquisa mostrou ainda que Joaçaba aparece como a segunda cidade em que os turistas mais gastaram, uma média de R$ 127,14.

Setor hoteleiro

Na análise dos gastos com hospedagem, alimentação, lazer, compras, transporte e pacote turístico, o maior gasto médio foi registrado no setor hoteleiro. A Capital lidera mais uma vez, com R$ 697,77 gastos por turista com hospedagem, sendo que a ocupação hoteleira alcançou 82,5%. São Francisco do Sul ocupa a segunda posição, com R$ 640,42 de gasto médio no setor e 63,2% de ocupação. Em seguida, Joaçaba com R$ 431,03 e 84% e Laguna, com R$ 400,84 e 75,7%, sendo que nesta cidade o item alimentação foi o de maior gasto médio por turista – R$ 469,68.

Comércio e serviços

Os empresários do setor de comércio e serviços não foram otimistas em relação à variação de faturamento entre 2014 e 2015. Apesar do gasto médio no setor ter sido maior neste ano, a variação de faturamento foi negativa em todas as cidades: Capital (-1,5%), São Francisco do Sul (-21,7%), Laguna (-3,7%) e Joaçaba (-5,2%).
Nas quatro cidades analisadas, os empresários do setor afirmaram terem contratado colaboradores extras. A média de colaboradores por empresa foi de 2,5 na Capital, 2,8 em São Francisco do Sul, 5,6 em Laguna e 3 em Joaçaba.

Origem dos turistas

A Capital foi a cidade que mais recebeu turistas estrangeiros – 10% do total, vindos da Argentina, do Uruguai e do Paraguai. Em Laguna e Joaçaba, mais de 50% dos turistas eram catarinenses. Na Capital, quem liderou as visitas foram os gaúchos, com 47,7% de representação. Em São Francisco do Sul, os turistas do Paraná tiveram 51,8% de participação.

 

Texto – Paulinha Patussi